Show simple item record

dc.contributor.authorFrank, Stefaniees_ES
dc.contributor.authorCoelho, Elza Berger Salemaes_ES
dc.contributor.authorBoing, Antonio Fernandoes_ES
dc.date.accessioned2015-08-25T14:56:14Z
dc.date.available2015-08-25T14:56:14Z
dc.date.issued2010es_ES
dc.identifier.citationFrank, Stefanie,Coelho, Elza Berger Salema,Boing, Antonio Fernando (2010) Perfil dos estudos sobre violência contra a mulher por parceiro íntimo: 2003 a 2007: [revisão]. Rev Panam Salud Publica;27(5) 376-381,maio 2010. Retrieved from http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1020-49892010000500008pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1020-49892010000500008es_ES
dc.identifier.urihttps://iris.paho.org/handle/10665.2/9684
dc.format.extentiluses_ES
dc.format.extenttabes_ES
dc.relation.ispartofseriesRev Panam Salud Publica;27(5),mayo 2010es_ES
dc.subjectViolência contra a Mulherpt_BR
dc.subjectViolência Domésticapt_BR
dc.subjectMetodologiaes_ES
dc.subjectViolence Against Womenes_ES
dc.subjectDomestic Violencees_ES
dc.subjectMethodologyes_ES
dc.subjectBibliometriaes_ES
dc.subjectMaus-Tratos Conjugaises_ES
dc.subjectFatores Etárioses_ES
dc.subjectEstado Civiles_ES
dc.subjectPublicações Periódicas como Assuntopt_BR
dc.subjectFatores Sexuaises_ES
dc.titlePerfil dos estudos sobre violência contra a mulher por parceiro íntimo: 2003 a 2007: [revisão]pt_BR
dc.typeJournal articlesen_US
dc.rights.holderPan American Health Organizationen_US
dc.description.notesOBJETIVO: Descrever os estudos sobre violência contra a mulher por parceiro íntimo em termos da área do conhecimento em que se enquadram, sexo dos autores, países onde são realizados e idioma das publicações, enfoque metodológico, sujeitos da pesquisa e local onde foram coletados os dados. MÉTODOS: De janeiro a maio de 2008 realizou-se uma revisão das bases de dados Medline, PsycINFO, LILACS e SciELO para artigos publicados entre 2003 e 2007. As estratégias que utilizaram palavras em português foram aplicadas apenas nas bases LILACS e SciELO. RESULTADOS: Foram selecionados para a análise 176 artigos que abordaram a violência contra a mulher por parceiro íntimo, tendo sido 84,7 por cento publicados em inglês; 49,4 por cento foram publicados em revistas das ciências médicas e 86,4 por cento utilizaram um enfoque metodológico quantitativo. Houve diversidade quanto aos países onde os estudos foram realizados, com destaque para a América do Norte (42,1 por cento). Dentre os sujeitos, foram mais pesquisadas as mulheres entre 20 e 29 anos (78,4 por cento), casadas (72,2 por cento) e cujo agressor era o parceiro íntimo atual (97,2 por cento). Os sujeitos foram abordados principalmente em serviços de saúde (30,7 por cento) e em amostras por domicílios (30,1 por cento). As autoras dos artigos foram pricipalmente mulheres (57,7 por cento). CONCLUSÕES: Pesquisas futuras devem associar diferentes enfoques metodológicos, além de selecionar e descrever os sujeitos e os agressores para possibilitar a comparabilidade dos estudos. Tal medida é necessária para garantir o aprofundamento do conhecimento sobre o tema e viabilizar políticas eficazes para a erradicação da violência contra a mulher.(AU)pt_BR
dc.description.notesOBJECTIVE: To describe the studies about intimate partner violence against women in terms of field of knowledge to which they belong, sex of authors, country where they were conducted, language of publication, study design, participants, and place where data were collected. METHODS: A systematic review of Medline, PsycINFO, LILACS, and SciELO databases was conducted from January to May 2008 for articles published between 2003 and 2007. The search using Portuguese terms was conducted only in LILACS and SciELO. RESULTS: A total of 176 studies about intimate partner violence against women was selected for analysis. Of these, 84.7 percent were in published in English; 49.4 percent were published in biomedical journals; and 86.4 percent had a quantitative design. The studies were carried out in a variety of countries, particularly in North America (42.1 percent). Participants were mostly married women aged 20 to 39 years (72.2 percent) who were victims of violence by a current partner (97.2 percent). Most subjects were recruited in healthcare services (30.7 percent) or through household sampling (30.1 percent). Study authors were mostly women (57.7 percent). CONCLUSIONS: Future studies should combine different methodological approaches and select and describe victims and perpetrators to ensure comparability. This is necessary to advance this field of knowledge and to enable the establishment of effective policies to eradicate violence against women.(AU)en_US


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record