Show simple item record

dc.contributor.authorSanto, Augusto Hasiakes_ES
dc.date.accessioned2015-08-25T14:51:53Z
dc.date.available2015-08-25T14:51:53Z
dc.date.issued2007es_ES
dc.identifier.citationSanto, Augusto Hasiak (2007) Potencial epidemiológico da utilização das causas múltiplas de morte por meio de suas menções nas declarações de óbito, Brasil, 2003. Rev Panam Salud Publica;22(3) 178-186,sep. 2007. Retrieved from http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1020-49892007000800004pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1020-49892007000800004es_ES
dc.identifier.urihttps://iris.paho.org/handle/10665.2/7784
dc.format.extenttabes_ES
dc.relation.ispartofseriesRev Panam Salud Publica;22(3),sep. 2007es_ES
dc.subjectCausa básica de mortees_ES
dc.subjectCausas múltiplas de mortees_ES
dc.subjectClassificação Internacional de Doençaspt_BR
dc.subjectDeclaração de Óbitopt_BR
dc.subjectMortalidadees_ES
dc.subjectBrasilpt_BR
dc.subjectCause of Deathes_ES
dc.subjectInternational Classification of Diseaseses_ES
dc.subjectDeath Certificateses_ES
dc.subjectMortalityes_ES
dc.subjectCausas de Mortees_ES
dc.subjectAtestado de Óbitoes_ES
dc.subjectBrasilpt_BR
dc.titlePotencial epidemiológico da utilização das causas múltiplas de morte por meio de suas menções nas declarações de óbito, Brasil, 2003pt_BR
dc.title.alternativeEpidemiological potential of multiple-cause-of-death data listed on death certificates, Brazil, 2003es_ES
dc.typeJournal articlesen_US
dc.rights.holderPan American Health Organizationen_US
dc.description.notesOBJETIVO: Avaliar o processamento automático e o potencial epidemiológico da utilização das causas múltiplas de morte por meio de suas menções nas declarações de óbito no Brasil em 2003. MÉTODOS: Os óbitos estudados provieram do banco de dados do Sistema de Informação sobre Mortalidade. A distribuição do número de causas informadas por declaração de óbito foi processada pelo Tabulador de Causas Múltiplas e descrita por meio de porcentagens em relação aos totais de óbitos nas unidades da federação, nas regiões e no País. Para as principais causas identificadas no Brasil em 2003, calculou-se a proporção de ocorrência de cada uma delas como causa como básica em relação ao número total de vezes que foi mencionada. RESULTADOS: O número médio de causas por declaração de óbito variou de 2,07 no Estado do Maranhão a 3,15 no Estado de São Paulo; entre as regiões, esse número variou de 2,45 no Nordeste até 2,99 no Centro-Oeste. Para o Brasil, o número médio de causas por declaração de óbito foi 2,81. As causas externas e as neoplasias, a morte sem assistência, as doenças pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) e a doença alcoólica do fígado apareceram como causa básica em mais de 90 por cento das vezes em que foram mencionadas; as neoplasias, a doença de Chagas, as malformações congênitas, as doenças isquêmicas do coração e as doenças cerebrovasculares, entre 70 e menos de 90 por cento das menções; e as pneumonias, a insuficiência cardíaca, o alcoolismo, a desnutrição, as doenças hipertensivas, as anemias, as causas mal definidas, a prematuridade, as septicemias e a insuficiência respiratória, em menos de 40 por cento. Conclusões. Embora a causa básica de morte continue a ser essencial para a análise de tendências históricas, para a comparabilidade entre países e para orientar a prevenção da morte, a metodologia das causas múltiplas permite vislumbrar uma nova dimensão no estudo da mortalidade. A combinação das duas metodologias é mais útil...(AU)pt_BR
dc.description.notesOBJECTIVE: To evaluate the automated processing and the epidemiological potential of multiple-cause-of-death data listed on death certificates in Brazil in 2003. METHODS: Data were obtained from the Brazilian Mortality Information System. The distribution of the number of causes per death certificate was processed using the Multiple Cause of Death Tabulator software and expressed as a percentage of the total deaths in federation units, regions, and in the country as a whole. For the main causes of death identified in Brazil in 2003, we calculated the rate at which each cause was listed as the "underlying cause of death" in relation to the total times the cause was mentioned. RESULTS: The mean number of causes of death per certificate ranged from 2.07 in the state of Maranhão to 3.15 in the state of São Paulo, and from 2.45 in the Northeast to 2.99 in the Mid-West. For the entire country, the mean number of causes of death per certificate was 2.81. External causes and neoplasms, unattended deaths, human immunodeficiency virus, and alcoholic liver disease were listed as the underlying cause more than 90 percent of the times they were mentioned; neoplasms, Chagas disease, congenital malformations, ischemic heart diseases, and cerebrovascular diseases, between 70 percent to less than 90 percent of the times they were mentioned; and pneumonias, heart failure, alcohol dependence, malnutrition, hypertensive diseases, anemias, ill-defined causes, prematurity, septicemias, and respiratory failure, less than 40 percent of the times they were mentioned. CONCLUSIONS: Although underlying causes of death are still essential to analyze historical trends, compare countries, and to guide the prevention of death, multiple-cause-of-death-data offer a new insight into the study of mortality. The combination of the two methodologies is more useful than the isolated use of either approach.(AU)en_US


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record