Show simple item record

dc.contributorMinistério da Saúdeen_US
dc.date.accessioned2024
dc.date.available2024
dc.date.issued2024
dc.identifier.isbn978-92-75-72767-6 (PDF)
dc.identifier.isbn978-92-75-22767-1 (versão impressa)
dc.identifier.urihttps://iris.paho.org/handle/10665.2/59606
dc.description.abstractSeis experiências exitosas em Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS) no Sistema Único de Saúde (SUS) participaram do Laboratório de Inovação em Saúde, que teve o desafio de compreender a complexidade e o alcance das PICS no SUS e, a partir da sistematização delas, aqui apresentadas, fomentar o intercâmbio de conhecimento entre os profissionais de saúde e gestores do SUS. A iniciativa foi lançada em outubro de 2021, pela Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) no Brasil e pela Secretaria de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde, por meio da Coordenação Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde, em comemoração aos 15 anos da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde no SUS (PNPIC). As PICS vêm se demonstrando como estratégias de cuidados inovadoras, baseadas em conhecimentos tradicionais, e que há mais de uma década está ganhando protagonismo nos serviços de saúde, em todos os níveis de atenção, da primária à média e alta complexidade. Atualmente, 29 práticas são oferecidas pelo SUS: apiterapia, aromaterapia, arteterapia, ayurveda, biodança, bioenergética, constelação familiar, cromoterapia, dança circular, geoterapia, hipnoterapia, homeopatia, imposição de mãos, medicina antroposófica, medicina tradicional chinesa/acupuntura, meditação, musicoterapia, naturopatia, osteopatia, ozonioterapia, plantas medicinais e fitoterápicos, quiropraxia, reflexoterapia, reiki, shantala, terapia comunitária integrativa, terapia de florais, termalismo social/crenoterapia e yoga. No campo acadêmico, registra-se que, apesar de muito ter se avançado na busca de evidências científicas que demonstrem a eficácia das PICS para a saúde, é necessário avançar com metodologias de pesquisa cada vez mais robustas, com a ampliação do campo de pesquisa clínico. Com o objetivo de reduzir as lacunas do conhecimento sobre o tema, o Laboratório de Inovação em Saúde sistematizou práticas consolidadas no SUS para contribuir para a promoção e recomendação das PICS de forma segura e oportuna, para o bem comum das populações, ampliando o acesso aos cuidados de saúde.en_US
dc.language.isopten_US
dc.publisherOPASen_US
dc.relation.ispartofseriesNavegadorSUS - Série Técnica Redes Integradas de Atenção à Saúde;
dc.rightsAttribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 IGO*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/3.0/igo/*
dc.subjectPolítica de Inovação e Desenvolvimentoen_US
dc.subjectAssistência Integral à Saúdeen_US
dc.subjectServiços de Saúdeen_US
dc.subjectSistema Único de Saúdeen_US
dc.titleLaboratório de Inovação em Saúde: Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS)en_US
dc.typeProcedures, manuals, guidelinesen_US
dc.rights.holderPan American Health Organizationen_US
dc.contributor.corporatenameOrganização Pan-Americana da Saúdeen_US
paho.publisher.countryBrazilen_US
paho.publisher.cityBrasília, D.F.en_US
dc.identifier.doihttps://doi.org/10.37774/9789275727676
paho.source.centercodeUS1.1en_US
paho.contributor.departmentRepresentação da OPAS/OMS no Brasilen_US
paho.page94 p.en_US


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 IGO
This notice should be preserved along with the article's original URL.Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 IGO