Show simple item record

dc.date.accessioned2020-06-23T21:00:23Z
dc.date.available2020-06-23T21:00:23Z
dc.date.issued2020-06-01
dc.identifier.isbnOPAS-W/BRA/COVID-19/20-083
dc.identifier.urihttps://iris.paho.org/handle/10665.2/52363
dc.description.abstractVisão geral: Os sistemas de saúde do mundo inteiro estão sendo pressionados por uma maior demanda por atendimento a pessoas com COVID-19, aliada ao medo, estigma, desinformação e restrição de circulação que prejudicam a prestação de cuidados de saúde para todas as doenças. Quando os sistemas de saúde estão sobrecarregados e as pessoas não conseguem ter acesso aos serviços necessários, aumenta a mortalidade direta e indireta por doenças evitáveis e tratáveis. Manter a confiança da população na capacidade do sistema de saúde de atender, com segurança, as necessidades essenciais e de controlar o risco de infecção nas unidades de saúde é fundamental para garantir que as pessoas continuem a buscar atendimento quando necessário e que sigam as orientações de saúde pública. A capacidade de um sistema de manter a prestação de serviços essenciais de saúde dependerá da carga inicial da doença, do contexto local de transmissão da COVID-19 (classificado como nenhum caso, transmissão esporádica, em clusters ou comunitária) e da capacidade do sistema de saúde, à medida que a pandemia evolui. Os recentes investimentos na atenção primária à saúde visando prover uma ampla cobertura de saúde fornecem uma base fundamental para uma adaptação ao contexto da pandemia. Um sistema de saúde bem organizado e preparado tem a capacidade de manter acesso equitativo à prestação de serviços essenciais durante toda uma situação de emergência, limitando a mortalidade direta e evitando um aumento na mortalidade indireta. Nas fases iniciais do surto de COVID-19, muitos sistemas de saúde conseguiram manter a prestação de serviços de rotina, além de gerenciar uma carga de casos de COVID-19 relativamente limitada. À medida que as demandas aumentaram e os próprios profissionais de saúde passaram a ser cada vez mais afetados pela infecção pelo virus responsável pela COVID-19 e pelas consequências indiretas da pandemia, a necessidade de haver adaptações estratégicas se tornou urgente para garantir que os limitados recursos dos setores público e privado fornecessem o máximo benefício para as populações...en_US
dc.language.isopten_US
dc.publisherOPASen_US
dc.rightsAttribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 IGO*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/3.0/igo/*
dc.subjectCOVID-19en_US
dc.subjectCoronavirusen_US
dc.subjectServiços de Saúdeen_US
dc.titleManutenção de serviços essenciais de saúde: orientação operacional para o contexto da COVID-19. Orientação provisória 1º de junho de 2020en_US
dc.title.alternativeMaintaining essential health services: operational guidance for the COVID-19 context: interim guidance, 1 June 2020en_US
dc.typeTechnical reportsen_US
dc.rights.holderPan American Health Organizationen_US
dc.contributor.corporatenameOrganização Pan-Americana da Saúdeen_US
dc.description.notesVersão oficial em português da obra original em Inglês: Maintaining essential health services: operational guidance for the COVID-19 context: interim guidance, 1 June 2020. © World Health Organization 2020. WHO/2019-nCoV/essential_health_services/2020.2.en_US
paho.isfeatured0en_US
paho.publisher.countryBrazilen_US
paho.publisher.cityBrasília, D.F.en_US
paho.source.centercodeUS1.1en_US
paho.contributor.departmentRepresentação da OPAS/OMS no Brasilen_US
paho.iswhotranslationyesen_US
paho.uri.WHOoriginalhttps://apps.who.int/iris/handle/10665/332240en_US


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 IGO
This notice should be preserved along with the article's original URL.Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 IGO