Show simple item record

dc.contributor.authorNarvai, Paulo Capeles
dc.contributor.authorFrazão, Pauloes
dc.contributor.authorRoncalli, Angelo Giuseppees
dc.contributor.authorAntunes, José Leopoldo Fes
dc.date.accessioned2015-08-25T14:52:22Z
dc.date.available2015-08-25T14:52:22Z
dc.date.issued2006es
dc.identifier.citationNarvai, Paulo Capel,Frazão, Paulo,Roncalli, Angelo Giuseppe,Antunes, José Leopoldo F (2006) Cárie dentária no Brasil: declínio, polarização, iniqüidade e exclusão social. Rev Panam Salud Publica;19(6) 385-393,jun. 2006. Retrieved from http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1020-49892006000600004es
dc.identifier.urihttp://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1020-49892006000600004es
dc.identifier.urihttp://iris.paho.org/xmlui/handle/123456789/7961
dc.format.extenttabes
dc.format.extentgrafes
dc.relation.ispartofseriesRev Panam Salud Publica;19(6),jun. 2006es
dc.subjectÍndice CPOes
dc.subjectCárie Dentáriaes
dc.subjectBrasiles
dc.subjectFatores Socioeconômicoses
dc.titleCárie dentária no Brasil: declínio, polarização, iniqüidade e exclusão sociales
dc.title.alternativeDental caries in Brazil: decline, polarization, inequality and social exclusiones
dc.typeJournal Articlees
dc.description.notesOBJETIVO: Analisar a evolução da experiência de cárie dentária entre escolares brasileiros no período de 1980 a 2003 e determinar a distribuição da cárie e o acesso dessa população ao tratamento da doença. MÉTODO: Foram utilizados dados secundários produzidos no período de 1980 a 2003, empregando o índice dentes permanentes cariados, perdidos e restaurados (CPOD). Os estudos que deram origem aos dados variaram quanto ao tipo de investigação, delineamento, plano amostral e critério diagnóstico para a doença, mas produziram estimativas nacionais consideradas válidas para os valores do índice CPOD, admitindo-se como possível a presente análise de tendência. RESULTADOS: Os valores de CPOD indicaram um nível alto de cárie dentária nos anos 1980, declinando para um nível moderado nos anos 1990. Em 2003, o valor do CPOD ainda era moderado (2,8). Entre 1980 e 2003, o declínio nos valores do CPOD foi de 61,7 por cento. A porcentagem de escolares com CPOD igual a zero aumentou de 3,7 por cento em 1986 para 31,1 por cento em 2003. Por outro lado, enquanto no segmento menos atingido pela doença (CPOD de 1 a 3), o índice de cuidados aumentou de 26,3 por cento em 1986 para 34,7 por cento em 2003, no segmento com CPOD de 4 a 5 o índice de cuidados caiu de 50,2 por cento em 1986 para 39,3 por cento em 2003. No segmento com CPOD de 6 ou mais, o índice de cuidados se manteve estável (28.0 por cento). Aproximadamente 20 por cento da população passou a concentrar cerca de 60 por cento da carga de doença. CONCLUSÃO: Um declínio relevante do CPOD foi observado no período do estudo, sendo a hipótese explicativa mais plausível a elevação no acesso a água e creme dental fluorados e as mudanças nos programas de saúde bucal coletiva. A despeito da melhora, a distribuição da cárie ainda é desigual. Os dentes atingidos por cárie passaram a se concentrar numa proporção menor de indivíduos. Ademais, não se alterou a proporção de dentes cariados não tratados. A redução das disparidades socioeconômicas e medidas de saúde pública dirigidas aos grupos mais vulneráveis permanecem como um desafio para todos os que formulam e implementam as políticas públicas no Brasil. (AU)es


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record